RSS

Summer of ’94 e por aí fora… Corrigido por "barraca37"

Sempre gostei do Verão. Não pelo calor (que até nem gosto muito…) mas pelo facto de poder tocar mais vezes... das noites... da partilha...
Corria o belo summer of ‘94 estava a dar os meus primeiros passos musicais, com os “Paz d’Alma” com Coelho (Paulo) na voz, Biquinho (Ricardo Santos) na bateria, Filipe Pires na guitarra e Hugo Valverde no baixo e comigo nas teclas. Noites loucas…
Surgem também os “Jazz Faz Tarde” com Beta, Abelha, Mota, Beto e Micha. Aparecem também os "Kamasutra Band" liderados pela voz de Pedro Lucas, Nélson Brilhante na guitarra, Tó-Jú no baixo, Valter na bateria e Manuel Peixe nas teclas, seguidos pelos “Ínclita Geração” com Hugo Piló na liderança. Já então tocávam “Mário João e os Mês Riques Filhes” assim como os “Springbok”, de Vítor Maurício, Vítor Moreira e Filomeno Costa. Tínhamos também a “Banda da Praia” com Taveira, Paulo e Nuno Bigodes, Remígio e Nélson Quico. Depois dos “Paz d’Alma”, surge um update para a “Banda da Piúga” com Américo Matias na voz, Bruno Espadana no baixo e mais tarde na guitarra e Ricardo Mota na guitarra.
Gostei muito desta fase da minha vida. Não pedíamos licença para nada. Precisámos de uma carrinha, comprámos. Precisávamos de material para tocar, comprámos. Tudo à conta do nosso esforço e nosso talento. Só um de nós tinha idade para ter carta de condução. Mas comparados com os putos de hoje, éramos uns homenzinhos… Vieira, Pedrógão, Benedita, Ourém, Fátima, Caldas da Rainha, Rio Maior, Leiria, eram nossos poisos habituais…
Durante mais de 10 anos, praticamente a música ao vivo desapareceu da Nazaré. Foi a abertura do "Bar do Peixe" que deu novo impulso à música ao vivo. Depois foi a vez do "NBar" fazer a sua aposta. Agora temos também o "Anastacius", "Parlapié", "Irish Pub", "Barra Bar" a fazerem música ao vivo com regularidade, e outros bares como "Pé-Leve", "Mastrobar", "Oceano" e "Sabor a Mar" a fazê-lo em épocas altas. Nem todos têm condições para fazer música ao vivo. Mas estão a contribuir positivamente para a noite nazarena.
Bandas Nazarenas a tocar em bares? Temos os “B’54”, os “BeSax”, os “Popitude”, “Baracóbanda”, "Francisco Taveira", "Vítor Maurício", "Sílvio Salvador", "Hugo Piló", "Nylon", "Littlebick", "Trio e Meio", “All Things Shining”, entre outras…
Diz-me a experiência que este estado de graça tem um limite óptimo. Depois, cai. Até lá, vamos todos aproveitar porque a noite nazarena está em altas!

13 Comentários:

barraca37 disse...

Olá Pickle. Foi com atenção que li o teu post e é com prazer que aproveito para rectificar alguns dados menos correctos.
Uma das primeiras bandas mais conhecidas(!) na Nazaré, a seguir aos Paz d'Alma e aos JazzFazTarde, foram os Kamasutra Band, estes sim comandados pelo Pedro Lucas, com Nelson na guitarra, Tó-Jú no baixo, Manel nas teclas e Valter na bateria.
Os Inclita Geração surgiram algum tempo depois, comandados por Hugo Piló.

C@necão disse...

Já está corrigido, muito obrigado pelo lembrete! Seria interessante tentar reuniar esta malta toda num só palco... num sítio qualquer... se calhar, até tem pernas para andar!

hermeneuticamente disse...

A noite nazarena sofre de enfermidades antigas, com a mesma idade que o diagnóstico é conhecido. Este é um assunto delicado que atinge muitos comerciantes mas que penso teremos um dia que tratar.
De uma forma muito simples, só para levantar a reflexão, não é estranho haver na nossa terra restaurantes a servir até às duas, cafés a servir até às duas, pastelarias a servir até às duas, gelatarias a servir até às duas e claro bares a servir até às duas?
E se esta uniformidade de horários não parecer estranha, o que os diversos estabelecimentos oferecem tem mais diferenças ou semelhanças?
Não existe aqui um claro atropelo entre todos?

C@necão disse...

Concordo em absoluto. Terá de haver coragem em agir em conformidade.

Américo disse...

Apenas te quero agradecer pelo facto de me fazeres lembrar de uma das melhores alturas da minha vida, em que independentemente das dificuldades disto, ou daquilo, existia sempre algo que nos fazia viver apaixonados pela vida, "pela noite" e pelas amizades que se foram criando..."A PAIXÃO PELA MÚSICA"

Luis disse...

Meu caro Ricardo,

Foram sem dúvidas grandes anos em que a noite não era melhor nem pior que agora. Era diferente. Eu gostava mais pelo menos.

Abraço do Luis Oliveira (tu sabes quem)

Anónimo disse...

"Cride amigue"
Não nos podemos esquecer que os tempos eram outros, a economia nacional era mais forte ainda reinava o escudo,agora com o euro é muito mais dificil tanto para o bolso do cliente como para o bolso do dono do bar ou da colectividade onde fores tocar.Recordo com saudades as noites de Verão do Terraço do S. Miguel,do Bubbas quando abriu,da casa d'avô e muitos outros que apostava na música ao vivo.Houve uma banda que não referiste que também era muito boa(salvo erro chamava-se Mortal zone em que o vocalista era o Fernando "Fe").Eram tempos de liberdade e bem estar,hoje em dia é tudo muito mais selectivo e controlado,a década de 90 ficará marcada como os nossos melhores anos,agora somos "escravos" da sociedade e das tecnologias. Em relação a ti meu AMIGO Caneco,és como o vinho do Porto"quanto mais velho melhor".Grande músico,grande "AMIGO", e como pessoa és 6 estrelas.Abrigado pelos conselhos e por tudo que tens feito por mim.
Muitos concertos é o que eu te desejo.
Aquele abraço!!!!!
Sílvio Salvador

vitor copa disse...

Caro amigo Ricarduxo!!
Sem duvida que no inicio da decada de 90,existia outro clima, lembro-me perfeitamente de todos esses grupos, era eu um miudo e ia assistir com grande admiração a todos estes grupos, fosse no terraço do S.Miguel, fosse no velhinho "AMok" ou no ja extinto "Sai do Stress". Sempre acompanhado do meu grande amigo e guitarrista Paulo Jorge e duma bela coca cola com duas pedras de gelo :P.
Esqueceste-te de referir as noites porreiras no teatro Chaby Pinheiro, onde os Amigos para sempre actuavam, e varias bandas la iam tocar, existem videos no youtube a relatar esses acontecimentos. Foi ai q a nova vaga de musicos surgiu, musicos como silvio salvador, andre codinha, paulo oliveira,Tom "sitêre", susana gomes,Valter Santos eu próprio e outros tantos, iniciaram bandas como x-static, drama n`base.. etc.
Velhos tempos, nao quis deixar de te mandar um grande abraço e agradecer-te por me relembrares estes tempos, que sendo eu um puto na altura, vivi intensamente e fez de mim o que sou hoje.
Um grande abraço Canecão e ( ja marquei mais um!! ) hehe tu sabes a que me refiro :P

Vitor Copa

Anónimo disse...

Grandes noites! Temos inesquecíveis! Olhar para a Banda da Praia é querer sempre como eles, admirar os Paz d'Alma e querer tocar como eles, aprender com os Absinto - mais tarde Jazz Faz Tarde - e querer fazer como eles! O incentivo era isso: querer estar na música. Aos poucos tudo se consegue e foi assim com a "minha" KamaSutra Band. Quando demos por nós, só tínhamos folga ao domingo!
Marinha Grande, Lisboa, Leiria, Figueira da Foz... cada lugar com um sinónimo guardado no nosso imaginário. Gravar maquetes e entregar nos bares em K7 - ter um CD era uma relíquia na altura; ligar a carrinha do pai do Tó-Jú com uma faca das redes de pesca e ir tocar para a Figueira; estar a tocar em Amiais num bar e, de repente, ficarmos a saber que aquilo era uma casa de meninas!; oh, oh, tantos relatos que todos nós temos que só podemos recordar com enorme felicidade. Um caminho saudável na música, com mais e menos atributos, com mais e menos condições.

Um abraço a todos os que estiveram e estão ligados a estes momentos inesquecíveis da minha vida.

P Lucas

PS: Valter, Manel, Tó e Nelsón... "É pa começar com o Disneyland!" ;-)

Anónimo disse...

Tal como nós, crescemos a admirar o Mário João e os mês Rikes Filhes e a querer ser como eles. Faz parte ;)
C@necão

barraca37 disse...

Quase que chorava... a sério!

Anónimo disse...

Mete supercola 3.

Pex disse...

Bons velhos tempos... Vamos a isso...

Abracos